mercado de cosméticos

Mercado de Cosméticos no Brasil

O Brasil está entre os três países que mais consomem cosméticos no mundo, ficando atrás apenas dos Estados Unidos e do Japão. Desde 2010, o mercado de cosméticos brasileiro cresceu uma média de 567% e vem ganhando cada vez mais espaço, prometendo expansões mesmo com a crise.

Anualmente, esse mercado tem arrecadado cerca de 113% e corresponde a 1,8% do PIB brasileiro, conforme pesquisa feita pelo IBGE, e muitos afirmam que essa taxa tende a aumentar nos próximos anos. O que, consequentemente, chama cada vez mais atenção de possíveis revendedores individuais e lojas especializadas nesse ramo. Só em 2015, foram 482 mil profissionais que entraram na área – a maioria mulheres com micro e pequenas empresas – um número bem maior do que os 73 mil entre 2010-2014.

Isso significa que, além de gerar renda e movimentar a economia, a venda de cosméticos também gera muitas vagas de emprego e é uma boa opção para quem está fora do mercado de trabalho.

Mais populares

Assim como o setor expandiu, as indústrias também. Hoje em dia, há várias empresas especializadas na produção de cosméticos e dos mais variados tipos, desde maquiagem até produtos para banho, e disputam um mercado que está crescendo cada vez mais.

Conforme uma pesquisa realizada com 1.914 homens e 2.885 mulheres do Brasil com entre 25 e 59 anos – publicada na Revista Época Negócios – foi perguntado quanto eles investiam mensalmente em produtos de beleza. 76,9% dos rapazes dedicam entre R$ 20 e R$ 250 mensais e 75,9% das garotas transitam entre as mesmas margens.

Importados x Nacionais

A indústria brasileira de cosméticos tem evoluído bastante e trazido produtos de altíssima qualidade para os seus consumidores. No entanto, a procura por importados ainda é muito grande. Não só pelo status, mas porquê possuem diversos produtos que não estão disponíveis no mercado brasileiro.

Em questão de qualidade, o Brasil tem conseguido se igualar e muito aos importados. Tanto que os consumidores tem dado preferência a determinado produtos nacionais ao invés de procurar os de fora. E também pelo preço do nacional chegar à ser duas vezes menor do que o importado. Ou seja, além da qualidade, o consumidor também faz economia.

O futuro do mercado

Mesmo com a recessão que a crise trouxe para a economia do país, onde todos estão pensando duas vezes antes de colocar a mão do bolso para fazer uma compra, o mercado de cosméticos promete ser um dos setores que não irá sofrer com esse mal. Já que o brasileiro, no que se trata de beleza, não tem medo de gastar.

Especialistas dizem que, até o final de 2016, a indústria de cosméticos continuará crescendo e mais profissionais investirão nesse mercado em constante expansão.

Estatísticas

O mercado de cosméticos no Brasil, em sua maioria, é dominado pelas mulheres. No entanto, há uma estimativa de que entre 25% a 30% seja formado por homens. Por ainda haver muito preconceito em relação a esse nicho, a porcentagem é muito baixa comparada outros países.

Dos 564.188 mil profissionais e microempresas que atuam no ramo atualmente, 469.476 são administradas por mulheres, contra 94.712 administradas por homens.